quinta-feira, 1 de junho de 2017

Riscos e consequências do tabagismo no Brasil e no Mundo

           O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de mortes evitáveis no mundo todo, onde nele habitam 2 bilhões de fumantes. A Organização considera a doença epidêmica, onde existe total dependência psicológica, física, mental e comportamental.

            São 6 milhões de mortos por ano, 200 mil só no Brasil. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o cigarro também é responsável por 90% das mortes relacionadas ao pulmão; a impotência sexual, hipertensão arterial, paradas cardíacas e mesmo o câncer ocorrem frequentemente após o uso á longo prazo.



           Visando reduzir ainda mais o consumo de cigarros no país, o Brasil ratificou a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco feita pela OMS em 2005. Amparadas pela Lei Antifumo 9.294, de 1996 nas restrições adotadas constavam: a proibição de propagandas em lugares públicos, a sobretaxa de impostos na venda do produto; agentes de fiscalização em comércios, as empresas de tabaco também não podem patrocinar eventos ou shows.

           Para obter informações sobre o tabagismo, acesso o INCA, órgão do Ministério da Saúde que executa o Programa de Controle do Tabagismo no Brasil, ou ligue no Disque Saúde (136). Depois destes números, tranquilizo vocês com o som deste clássico:


terça-feira, 23 de maio de 2017

Shakespeare



"No mesmo instante em que recebemos pedras em nosso caminho, flores estão sendo plantadas mais longe. Quem desiste não as vê."

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Spotlight: Segredos Revelados

           "Spotlight: Segredos Revelados" é um filme denúncia estadunidense lançado em 2015 e que levou o Oscar de "Melhor Filme" e "Melhor Roteiro Original" no ano seguinte. Baseado na investigação feita pela equipe Spotlight do jornal americano The Boston Globe em 2000, rendeu ainda o Pulitzer de prestação de serviços públicos em 2003, um dos maiores prêmios na área de jornalismo e literatura.


           Apesar do pouco apelo comercial o filme chamou atenção pela pela premissa que é universal, investigações e escândalos permeiam o gosto do público, ainda mais quando uma delas estiver ligada a uma das maiores instituições religiosas do  mundo. O abuso sexual infantil cometido por padres ao longo de décadas e em larga escala atrelado a nequice e obstrução de provas por parte da Igreja Católica, não chega a ser atual como vemos no desenrolar do filme, mas volta aos holofotes quando abordados da maneira correta e com uma conduta ética pelos jornalistas.



           Ótimo exemplo de como se fazer o "bom" jornalismo, o novo diretor do Globe se depara com a seguinte questão quando quer acesso a informações sobre os padres em Boston: "quase 70% dos leitores do seu jornal são cristãos, acha mesmo que eles gostariam de ler sobre isso?", ao que o diretor responde: "Acho mesmo que pra eles isso seria interessante", visando o "sistema", a instituição por trás dos crimes, e não casos isolados.



O ataque ao World Trade Center em 11 de setembro de 2001, ofuscou a relevância da notícia neste momento, uma vez que a nação tomada pelo sentimento de comoção e solidariedade, intercede ainda mais pelas figuras religiosas dos papas. Este critério de noticiabilidade, valores fundamentais e valor-notícia fica muito explícito já que vemos aqui a teoria do newsmaking.



           Publicado somente no início do ano de 2002, a matéria vem ao público com o título: "A Igreja permitiu abuso por padres durante anos", o êxito da suite começa a ser alcançado, no dia seguinte a redação estava inundada de telefonemas relatando casos de abusos parecidos. Aqui a teoria do agendamento ou agenda setting fica claro, pois dependendo do que a mídia ou jornal veicula, o público num curto, médio ou longo prazo inclui em suas preocupações e conversas diárias.



           Estereótipos, cuidado com as fontes, dinamismo, e responsabilidade jornalística de forma independente compõe este drama policial que é uma verdadeira ode ao jornalismo na dramaturgia.

domingo, 30 de abril de 2017

Quem é Malala?

              Malala é uma menina paquistanesa que mora no Vale do Swat, no dia 9 de outubro de 2012 foi baleado por extremistas do Talibã, a história que comoveu o mundo tomou forma em 2014, quando Malala recebeu o prêmio de Nobel da Paz pela ONU, dando voz as meninas muçulmanas que clamam por educação e direitos para as crianças, e principalmente, as mulheres.




           
              Malala Yousafz nasceu em meio aos golpes militares que assolavam a região do Oriente Médio no ano de 1997, seu nome tem por inspiração a ativista e heroína Malalai de Maiwand, morta num campo de batalha no Paquistão. No decorrer do livro, vemos histórias do dia a dia instável quando se vive numa região de conflito, com a fé que assola os muçulmanos, e quanto essa mesma fé vira extremismo nas mãos de quem "não conhece as verdadeiras histórias de Alá".

Malala Yousafzai faz apelo a educação para todas crianças do mundo em discurso na ONU em 2014
              O livro é divido em cinco partes Antes do Talibã; O vale da morte; Três meninas, três balas; Entre a vida e a morte e Uma segunda vida, nessas duas últimas, o leitor se prepara para a comoção, onde ela fala o que ocorreu após ser baleada.



              As histórias longas e teorias de conspiração vem em grande parte pela jornalista Christina Lamb, junto ao glossário e cronologia do Paquistão ao final. O relativismo cultural é a chave para este livro, quando nos deparamos com algumas ideias ou atitudes de outra região/religião, para discernir também, os verdadeiros adeptos da muçulmana, contra aqueles que buscam nela, uma via para o poder.






sexta-feira, 28 de abril de 2017

Espiral de Ilusão - Criolo

                   Ás 00h00 do dia 28, clamado por lutas e direitos ao longo do dia, Criolo lançou seu quarto álbum de inéditas "Espiral de Ilusão", com produção de Marcelo Cabral e Daniel Ganjaman, as 10 faixas fazem esse consagração maravilhosa ao samba brasileiro, não deixando de lado o lado crítico e delicioso do artista.



Arte da capa é feita pelo design Elias Andreato

                  “quem sou eu pra fazer um disco de samba?”, questiona. "Claro, sou brasileiro, e se eu gosto de samba, e se vou fazer respeitavelmente, não há problema algum. Ao mesmo tempo, acredito que eu tinha que sentir dentro de mim o momento certo de poder me permitir viver isso. Porque é muito sério e é muito forte, não é qualquer coisa, sabe? Música é muito forte e samba é algo muito especial pra nós, pra todo nosso povo, pra nossa cidade, pra minha família. Mas não tem como falar desse momento, do agora, e ignorar aqueles que o antecederam. Os momentos em que eu estava lá no barraco, lá na Vila São José, no Jardim das Imbuias e minha mãe cantava… E eu queria cantar, queria copiar a voz dela, copiar o jeito dela de cantar. Então tudo começa ali", explica.



Um dos melhores artistas e cantores, que o Brasil por certo, tem por se orgulhar
Então pare de correr na esteira e vá correr na rua
Veja a beleza da vida no ventre da mulher
Pois quem não vive em verdade, meu bem, flutua 

Ouça abaixo, o novo álbum na íntegra:





 Baixe aqui gratuitamente o álbum "Espiral de Ilusão", acesso também pelo http://www.criolo.net/





domingo, 23 de abril de 2017

A TV ainda influencia os jovens?

A expansão da televisão nas últimas décadas é um fenômeno importante e que muito influencia a vida dos jovens, já que este veículo como instrumento de socialização, tem como objetivo informar, divertir e educar. Mas será que a mídia está conseguindo fazer isso?

Série é baseada no livro homônio "Thirteen Reasons Why" (2007) de Jay Asher
                 
               Após a exibição da série “13 Reasons Why”, muito repercutida nas redes sociais e que aborda temas como suicídio, estupro e bullying, incitou os jovens a falarem mais sobre o assunto, acarretando também, no suicídio de uma menina de doze anos em Itajaí, e num acréscimo nos pedidos de ajuda registrados pelo CVV – Centro de Valorização da Vida.

Aaron Paul e Bryan Cranston interpretam, respectivamente, Jesse Pinkman e Walter White na série de Vince Gilligan

                Há pouco mais de três anos chegava ao fim a série americana “Breaking Bad” com cenas de violência, mortes e uso de drogas, atingindo picos de audiência em todos os EUA, e com ela, os números: a apreensão de metanfetamina nos aeroportos do Brasil aumentou 254%, segundo a Polícia Federal (PF), e o aumento do consumo da mesma droga retratada na série por todo os Estados Unidos, dados do Unodc – Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes.



                O consumo de drogas, incitação à violência e preconceitos, a realidade condicionada e a não representatividade oferecida pela TV, e amparado pelos nossos governantes, afetam diretamente a conduta do jovem brasileiro, que tem papel vital na transformação do seu país. Para não ficar à mercê da alienação, os jovens em suas escolas juntamente aos professores e durante todo o ensino, vejam a proposta e abrangência dos programas, um assistir consciente, para não somente digerir o que está sendo visto, mas tendo uma análise crítica a tudo que nos é repercutido.


sábado, 22 de abril de 2017

Criolo - Menino Mimado


             Um dos melhores rappers brasileiros e muito consagrado, ele mesmo: Les Criolexx, nosso amado Criolo, vai lançar seu álbum novo ainda esse mês, divulgado em sua página no twitter "Apresento a vocês o título do meu novo álbum "Espiral de Ilusão”, dedicado ao samba e a minha quebrada. #espiraldeilusão ".

           Sem data prevista de lançamento do novo álbum, e aguardando ansiosamente sua participação na Virada Cultural de São Paulo este ano, ficamos com seu mais novo single, o samba político "Menino Mimado",  lançado no último dia 14: